Partilhe

Fernando Alonso acredita que a 11ª posição na grelha de partida pode trazer à McLaren uma vantagem não intencional no México – ainda que tenha admitido ter emoções mistas, pelo facto de ele e a McLaren estarem numa posição em que o 11º lugar é algo para ser celebrado.

Alonso tinha um lugar reservado na parte final da sessão de qualificação, mas foi eliminado quando Nico Hulkenberg melhorou nos instantes finais da Q2.

Ainda que isso signifique que Alonso volte a falhar a passagem à Q3, o piloto espanhol diz que ter uma escolha livre relativamente aos pneus se pode tornar vantajoso, dado que a McLaren não está rápida o suficiente para estar perto da frente no Autodromo Hermanos Rodriguez.

“Sim! Fantástico!” disse Alonso à equipa via rádio depois de ter sido informado que tinha sido 11º, dois lugares acima de Jenson Button.

Falando ao jornalistas no fim da sessão, Alonso acrescentou: “Não é muito bom estar satisfeito por ser 11º, mas na situação em que nós estamos acho que é a melhor posição para começar, no lado limpo da pista.

“Infelizmente não fomos suficientemente rápidos. Há algumas corridas estávamos a lutar por sétimo ou oitavo e agora estamos a lutar por nono ou décimo, por isso 11º é a melhor opção, já que nos permite escolher os pneus e a estratégia de corrida.”

Ainda que Alonso espere começar com pneus macios – a estratégia mais rápida, de acordo com a Pirelli, é a de duas paragens, usando por duas vezes macios e acabando com médios – as alterações das condições da pista podem fazer com que surjam opções alternativas.

“Eu acho que sim”, afirmou, quando questionado se iniciaria a corrida com pneus macios. “O supermacio tem tido muita degradação nos treinos, por isso seria uma opção muito arriscada para amanhã.

“Mas a pista está a melhorar e o feeling com os pneus é melhor, portanto vamos ver. Temos essa possibilidade e os dez primeiros não, portanto vamos tentar aproveitá-la.”

Os nossos artigos mais recentes