Partilhe

Álvaro Parente é o novo campeão do Pirelli World Challenge, o campeonato americano de GT. Depois de arrancar de sexto – quatro posições atrás do seu rival Patrick Long – o português da McLaren alcançou o título apenas na última volta, num final de temporada dramático.

À entrada para a última ronda, em Laguna Seca, Parente só precisava de terminar imediatamente atrás de Long para se sagrar campeão. Contudo, uma decisão da organização retirou sete pontos ao portuense, que alegadamente tinham sido mal atribuídos numa etapa realizada em Maio. O português ficou assim obrigado a terminar à frente do rival.

Parente fez um bom arranque e na primeira curva já discutia o segundo posto com Long, que resistiu ao longo de toda a prova. Na última volta, o norte-americano aproveitou o fim de uma situação de bandeiras amarelas para atacar a liderança de Johnny O’Connel, com ambos a tocarem-se na manobra. Long saiu pior caindo para quinto, ao passo que Parente aproveitou para ascender ao segundo lugar e assim garantir o título.

Já depois da corrida terminar o português viu ser-lhe atribuída a vitória, na sequência da penalização de 2,1 segundos a O’Connell por ter provocado um acidente evitável com Long. O vice-campeão é assim promovido a quarto desta prova, já que O’Connell cai para quinto posto com a penalização.

No final da ronda de Laguna Seca, Parente admite que estava sob muita pressão e considera que a partida “foi fundamental. Foi um dos meus melhores arranques do ano. Mas depois não tinha ritmo para acompanhar os dois da frente. Tentei uma ou duas vezes ultrapassar o Patrick Long, mas o andamento dele era muito forte”.

O português destaca ainda o final dramático da corrida e do campeonato: “Acabei por aproveitar a situação da última volta, que foi um pouco louca, e ascendi a segundo. Foi louca a forma como o conseguimos no último momento, mas conseguimo-lo. Nós merecemos este resultado e deveríamos até tê-lo conquistado mais cedo”, refere.

Os nossos artigos mais recentes