Partilhe

O futuro de Mattias Ekström no DTM ainda não está assegurado, com o nórdico a dizer que aguarda por um acordo com a Audi para a próxima época. O também piloto do Mundial de Ralicross não descarta trocar de construtor, mas considera esse um cenário improvável nesta fase.

A partir do próximo ano cada construtor vai alinhar com seis carros em vez dos actuais oito, o que vai deixar alguns pilotos sem vaga. Ekström espera não ficar nessa situação, até porque, diz, citado pelo site Motorsport.com, “ainda tenho assuntos por resolver no DTM. Tenho passado as últimas três épocas a tentar ao máximo ser novamente campeão”.

E o sueco quer experimentar a nova realidade do campeonato: “Os novos carros e regras mudam muitas coisas, por isso gostaria mesmo de ter uma nova hipótese. Mas como são sempre precisos duas pessoas para ‘dançar o tango’ ainda estou à espera de saber que planos têm os meus patrões. Eles também têm que me querer na equipa”, explica, recordando que com a redução de carros por construtor não vai haver lugar para todos.

E se a Audi decidir não continuar com Ekström? O piloto não descarta por completo tentar a sorte noutro dos fabricantes envolvidos, mas não acredita que “pilotar para outro, porque estou na segunda metade da minha carreira. Não sei quanto tempo ainda vai durar a minha carreira, mas gostaria de mais alguns anos. Tenho boas memórias com a Audi, por isso gostaria de continuar aqui”.

Recorde-se que a Audi já anunciou que não vai continuar com Timo Scheider em 2017 e Edoardo Mortara foi já confirmado pela Mercedes. Além de Ekström, os outros pilotos da Audi na última época de DTM foram Mike Rockenfeller, Miguel Molina, Nico Müller, Adrien Tambay e Jamie Green.

Os nossos artigos mais recentes