Partilhe

Com a vitória em Austin, Lewis Hamilton tornou-se no terceiro piloto na história da Fórmula 1 a atingir a marca das 50 vitórias, seguindo as pisadas de Alain Prost (51) e Michael Schumacher (91).

Prost e Schumacher não foram as únicas lendas de que Hamilton se aproximou – ele igualou também o seu ídolo Ayrton Senna no número de vitórias a partir da pole position (29) e em vitórias nos Estados Unidos (5).

Hamilton, que tem sete vitórias nesta temporada, venceu quatro das cinco corridas que se realizaram no Circuito das Américas. Sebastian Vettel continua a ser o único outro piloto a triunfar em Austin.

Nico Rosberg terminou em segundo para confirmar a quinta dobradinha do ano para a Mercedes. Os flechas de prata repetiram as posições do Grande Prémio dos Estados Unidos de 2015.

O terceiro lugar de Daniel Ricciardo foi o sétimo pódio do australiano em 2016, o que significa que ele está agora a apenas um de igualar o seu recorde estabelecido em 2014, quando subiu ao pódio por oito vezes.

Sebastian Vettel está arredado dos lugares do pódio há quatro corridas, tendo conseguido apenas um nas últimas dez rondas do campeonato, continuando o seu pior momento de forma desde a sua primeira temporada na Fórmula 1 com a Toro Rosso em 2008.

A quarta posição de Vettel foi, no entanto, suficiente para ultrapassar o seu colega de equipa Kimi Raikkonen nas contas do campeonato de pilotos. O alemão obteve também a 27ª volta mais rápida da sua carreira.

A volta mais rápida de Vettel (1:39.877s) foi quase dois segundos mais rápida que a segunda melhor da corrida, que foi a de Kimi Raikkonen (1:41.841s).

A McLaren terminou com os dois carros nos pontos pela segunda vez em três corridas, e pela quarta em 2016. Fernando Alonso foi 5º e igualou o seu melhor resultado do ano, conseguido no Grande Prémio do Mónaco.

Carlos Sainz, o outro espanhol na Fórmula 1, também igualou o seu melhor resultado da temporada com a sexta posição, o mesmo resultado que atingiu em solo pátrio no Grande Prémio de Espanha. O piloto da Toro Rosso tem agora 38 pontos – exatamente mais 20 do que os que registou no ano passado.

A Williams reduziu a diferença para a Force India no campeonato de construtores por dois pontos, já que Massa terminou em sétimo e Perez em oitavo. Para o brasileiro este foi o seu melhor resultado desde a Rússia, onde foi quinto classificado.

A Haas celebrou o Grande Prémio de casa com o primeiro ponto em nove corridas. O décimo lugar de Romain Grosjean foi a quinta vez em que o francês chegou aos pontos em 2016.

Os nossos artigos mais recentes