Partilhe

Lewis Hamilton está convencido de que não fez nada de errado ou injusto ao abrandar o ritmo e permitir que os rivais se aproximassem de Nico Rosberg durante a tensa corrida do título em Abu Dhabi.

O campeão do ano passado foi repetidamente solicitado por parte da sua equipa para aumentar o ritmo durante a parte final da corrida, particularmente quando Sebastian Vettel se aproximou com pneus mais novos. Mas Hamilton, que precisava que Rosberg falhasse o pódio para chegar ao título, não concordou com as ordens de equipa e disse não ter feito nada de desagradável.

“Não acho que tenha feito algo de perigoso ou injusto hoje”, disse Hamilton. “Estamos a lutar por um campeonato mundial e eu estava na liderança da corrida, por isso controlo o ritmo. Essas são as regras.

“Para mim, estou numa posição eu que tive muitos pontos perdidos durante a época, e geralmente estou a lutar em pista e a tentar não fazer nada para prejudicar a equipa. Mas já tínhamos conquistado o campeonato de construtores, por isso hoje era entre mim e o Nico, mas a equipa ainda achava que precisava de interferir.

“Não sei porque é que eles não nos deixaram correr. Eu sabia que apesar de estar na liderança estava a perder o campeonato, e nunca houve um momento em que senti que pudesse perder a corrida. Para ser honesto, não tenho muito para lhes dizer. Nunca houve um momento em que me sentisse em risco.”

Apesar das suas frustrações, Hamilton afirmou que o triunfo de Rosberg – e não a luta em pista – deve ser o principal ponto de discussão.

“Não devemos deixar que isso ofusque o facto de o Nico ter sido campeão”, disse. “É uma sensação incrível vencer o campeonato do mundo.

“Sinto-me bem, fiz tudo o que pude este ano, especialmente nas últimas corridas. Mas o Nico teve um ano limpo, sem problemas, e é por isso que estamos nestas posições. Ele fez um trabalho fantástico por isso tenho de lhe dar os parabéns- e estou ansioso para lutar com ele no próximo ano.”

Os nossos artigos mais recentes