Partilhe

Miguel Faísca esteve no Estoril a competir na ronda final das European Le Mans Series (ELMS) em LMP3. Foi o regresso às pistas para o português, que não esconde o desejo de ter um programa mais amplo na próxima temporada.

Em declarações ao AutoRacing, Faísca afirmou que neste momento ainda não tem propostas para 2017 mas espera “que não seja outro ano de pausa. Ainda não tenho nenhum plano mas vou pensar nisso e vou trabalhar para que aconteça”.

O vencedor da GT Academy em 2013 está ciente da dificuldade em colocar de pé um projecto: “Claro que é muito difícil, há muito poucos apoios em Portugal e o marketing não é o meu ponto forte, portanto tenho que trabalhar para isso e espero que consiga fazer alguma coisa para o ano para não ser um one-off”, disse.

Nas 4 Horas do Estoril a Eurointernational teve o apoio técnico da Team Novadriver para o carro de Faísca. A possibilidade de estar num campeonato nacional com a formação de César Campaniço não é colocada de parte pelo jovem piloto: “Claro que não me importava, mas é sempre complicado, mais uma vez é preciso ter patrocínios para fazer as corridas. Mas claro que teria todo o gosto de correr em Portugal”, afirmou.

Os nossos artigos mais recentes