Partilhe

Jolyon Palmer admitiu ter ficado frustrado pelo facto de a Renault não ter dado ordens de equipa a Kevin Magnussen no Grande Prémio dos Estados Unidos.

Palmer estava numa estratégia de duas paragens, enquanto Magnussen optou por três, o que fez com que o britânico, apesar de estar mais rápido em pista, ficasse retido atrás do dinamarquês.

No fim, Palmer passou para a frente quando Magnussen parou, mas o dinamarquês tirou partido dos pneus novos e voltou a ultrapassá-lo.

Palmer acredita que o tempo que perdeu atrás de Magnussen pode ter custado à Renault um melhor resultado.

“Se queremos obter um bom resultado, precisamos de estar numa boa posição e com uma boa estratégia” disse Palmer, que terminou em 13º.

“Estive talvez 30 voltas mesmo atrás dele. Eu sabia que estava muito mais rápido mas não consegui estar suficientemente perto. Sinto que se o ultrapassasse podia ter apanhado os pilotos que estavam mais à frente. Mas estava preso atrás dele.”

Palmer, cujo futuro permanece incerto, referiu que havia alturas em que podia ter ultrapassado Magnussen, mas não queria causar um acidente.

“Acabei por sobreaquecer os pneus ao tentar ultrapassá-lo e perdi um pouco o ritmo. Ele fez uma paragem extra e apanhou-me no fim, é um pouco frustrante.

“Estava a dizer à equipa que é uma situação frustrante quando estás preso atrás do teu colega de equipa porque não queres tentar ultrapassar e cometer algum erro estúpido.”

Os nossos artigos mais recentes