Partilhe

A aquisição da Fórmula 1 por parte da Liberty Media está a ser investigada pela autoridade para a concorrência britânica, a Competition and Markets Authority (CMA), que pretende assegurar que não viola as leis da concorrência.

Esta era uma situação antecipada pela empresa norte-americana, que quando anunciou a intenção de comprar acções na F1 disse que o negócio estava sujeito às “autorizações e aprovações das autoridades anti-concorrência nos diversos países”.

A própria autoridade anunciou esta segunda-feira que está a investigar se os planos da Liberty Media infringem ou não a lei anti-concorrência estabelecida pelo Enterprise Act em 2002. Em comunicado, esclarece que as partes interessadas preocupadas com o negócio têm até 21 de Novembro para apresentarem as suas alegações neste caso.

A CMA explica também que até 5 de Janeiro do próximo ano vai decidir se a Liberty Media fica ou não sujeita a uma investigação mais aprofundada. Em causa, recorde-se, está o negócio anunciado de comprar todas as acções da Delta Topco na F1 (18,7 por cento) por um valor de oito biliões de dólares (pouco mais de sete biliões de euros).

Os nossos artigos mais recentes