Partilhe

Nico Rosberg diz que precisará de algum tempo para superar a intensidade e o drama da conquista do seu primeiro campeonato mundial, após um confronto em pista com o seu colega de equipa e três vezes campeão Lewis Hamilton.

Rosberg entrou na corrida sabendo que um pódio lhe garantiria o título, e embora tenha terminado na segunda posição, foi uma corrida que esteve longe de ser confortável – o alemão ficou inicialmente retido atrás de Max Verstappen e no final da corrida voltou a ser pressionado pelo piloto da Red Bull e por Sebastian Vettel, que foram capazes de se aproximar face ao ritmo que Hamilton ditou na frente.

“Dois Rosbergs são campeões agora!” disse Nico, que segue os passos do pai Keke, campeão em 1982. “É uma sensação muito especial.

“Espero não experimentar isto novamente nos próximos tempos! A batalha com o Max, a pressão no final, o Lewis a conduzir devagar – os sentimentos durante a corrida eram simplesmente irreais. Foi de loucos. Foi tão intenso que vai demorar algum tempo para ultrapassar. Aquelas últimas duas voltas, com aqueles dois atrás e sabendo que se me ultrapassassem estava tudo acabado – não é agradável!”

Rosberg prestou homenagem àqueles que o ajudaram ao longo da sua carreira no desporto motorizado, incluindo Hamilton, contra quem ele competiu desde que eram adolescentes no karting.

“Parece que tenho corrido com o Lewis desde sempre, e ele sempre conseguiu derrubar-me, mesmo quando éramos pequenos nos karts”, disse. “Isso torna isto ainda mais satisfatório. Ele é um piloto incrível, um ponto de referência fenomenal. Eu consegui tirar-lhe o campeonato. E por apenas cinco pontos no final, isso é inacreditável.

“Claro que a força mental é um ingrediente chave para chegar até aqui. E o meu pai e a minha mãe foram uma grande parte disto, enorme mesmo. Mas são também todos aqueles que me apoiaram – todos os que vieram neste fim de semana, as pessoas perto de mim, a minha equipa, a minha família nas corridas, a minha família.

“Todos os Sábados recebo uma mensagem do meu pai, e normalmente é ‘pé a fundo!’. Todos fazem parte disto.”

Questionado sobre as táticas que se desenrolaram no circuito de Yas Marina, Rosberg concluiu: O Lewis estava a usar toda a sua habilidade para o fazer na perfeição, por isso não havia nenhuma forma de eu o ultrapassar. Foi tão intenso – senti algo que nunca tinha sentido naquele carro.

“Tenho a certeza de que os próximos dias serão bastante loucos, mas estou ansioso por isso – vai ser especial. E esta noite vai ser completamente louca e insana!”

Os nossos artigos mais recentes