Partilhe

A Mercedes admite repensar a sua abordagem à competição na próxima temporada ou até sancionar Lewis Hamilton, na sequência da desobediência do britânico a ordens de equipa no GP de Abu Dhabi de Fórmula 1.

O piloto ganhou a prova de Yas Marina, mas numa tentativa de se sagrar campeão abrandou o ritmo de forma a juntar os primeiros classificados na esperança que Nico Rosberg fosse ultrapassado por outros pilotos. Temendo perder o triunfo, a Mercedes ordenou a Hamilton que aumentasse o ritmo, sobretudo perante a ameaça de um rápido Sebastian Vettel, mas o britânico ignorou.

Toto Wolff afirma agora que “precisamos de analisar a situação no geral e perceber o que significa. Tudo é possível, desde mudar as regras na próxima época porque não funcionam nas provas críticas, e até dar-lhes ainda mais liberdade para competirem um contra o outro”.

E segundo o director-executivo da Mercedes há mesmo cenários mais radicais que podem entrar em equação: “Ou podemos ser mais duros se sentirmos que os valores não foram respeitados. É uma mudança de 180 graus, e ainda não tenho a certeza do que vai acontecer”, explica.

O austríaco acrescenta que “uma parte de mim diz que numa estrutura de milhares de pessoas que cria os valores, há que os respeitar. Desrespeitar uma estrutura em público significa que te estás a por à frente da equipa, é muito simples. A anarquia não funciona em nenhuma equipa ou empresa”.

Contudo, Wolff também pensa na perspectiva de Hamilton, afirmando que “esta era a sua única hipótese de ser campeão nesta fase e talvez não se possa exigir a um piloto que é um dos melhores, que cumpra o dever numa situação onde os seus instintos não o permitem. Há que encontrar uma solução para o problema no futuro, porque criou-se um precedente. Deixem-me pensar sobre isto e encontrar uma solução”.

Os nossos artigos mais recentes