Partilhe

Max Verstappen afirma que o seu ataque nas voltas finais rumo ao pódio no Brasil foi um momento “quase tão bonito” como a sua primeira vitória na Fórmula 1 em Espanha.

Verstappen caiu para 14º depois de parar tarde para voltar aos pneus para chuva forte – foi a sua quinta paragem da corrida, enquanto os líderes fizeram duas – mas recuperou de forma espetacular, ganhando 11 lugares nas últimas 16 voltas.

“Fui chamado às boxes [para colocar intermédios na 43ª volta] porque o Daniel Ricciardo estava de intermédios e a ser um segundo mais rápido – por isso nós paramos e a primeira volta foi muito boa.

“Mas depois começou a chover mais forte e o último setor tornou-se simplesmente inguiável, por isso tivemos de parar outra vez – e depois comecei a ultrapassar.

“Foi díficil, não conseguia ver para onde estava a ir com o spray, mas consegui passar muita gente. E recuperar até ao pódio é um grande resultado.”

Ainda que tenha admitido que o segundo lugar podia ter sido possível sem tantas visitas à via das boxes, Verstappen afirma que a Red Bull esteve certa em arriscar numa paragem precoce para intermédios – e que a sua recuperação compensou qualquer possível deceção.

“Talvez a vitória não fosse possível, mas acho que o segundo lugar era”, disse. “Mas às vezes é preciso arriscar e foi o que tentamos hoje. Não resultou mas deu para ir ao pódio com umas boas ultrapassagens, por isso sou uma pessoa feliz.”

Verstappen cedo mostrou ao que vinha quando ultrapassou o Ferrari de Kimi Raikkonen e o Mercedes de Nico Rosberg, mas depois quase estragou tudo com um grande momento na curva 14, em que acabou por conseguir manter o Red Bull fora das barreiras.

“Na primeira parte estava a tentar algumas linhas diferentes e encontrei uma, e sabia que se o Kimi não fosse por lá eu tinha uma boa oportunidade para o ultrapassar”, comentou Verstappen. “Saí do spray e passei-o por dentro.

“Tinha um bom ritmo – conseguia seguir com os pilotos da frente e tive uma boa luta com o Nico na curva 3. Depois disso estava a tentar seguir o Lewis e tive um grande momento na última curva – tive muita sorte eu não atingir o muro!”

O pódio de Verstappen foi o sétimo da época e ajudou-o a conquistar o prémio de piloto do dia pela oitava vez em 2016.

Os nossos artigos mais recentes