Partilhe

As voltas finais do GP de Abu Dhabi de Fórmula 1 foram intensas, com Sebastian Vettel muito perto dos Mercedes a ameaçar a dobradinha dos alemães. Toto Wolff, director-executivo da formação germânica, admite que receou perder a vitória, depois de Lewis Hamilton ignorar ordens de equipa.

O engenheiro de corrida do britânico e Paddy Lowe disseram ao piloto para aumentar o ritmo de forma a contrariar a ameaça de Vettel. Numa jogada para atacar o título, Hamilton ignorou e continuou lento de forma a juntar os pilotos atrás de si e tentar que Nico Rosberg perdesse posições.

Após a conclusão da prova, Wolff falou de “uma situação um pouco esquizofrénica” ao canal de televisão Sky Sports: “Por um lado, a obsessão pelo controlo como líder de equipa que dita as regras às quias todos têm que obedecer. E depois há um piloto em mim e questionei o que eu teria feito”, afirma.

O responsável austríaco lembra que Hamilton tinha duas opções nesta corrida: tentar isolar-se “e mostrar que ele é o melhor piloto ou abrandar e colocar o Nico Rosberg sob pressão, e foi o que decidiu fazer. Eu e outros teríamos pensado nisso. Christian Horner, da Red Bull, teve a mesma ideia antes do fim-de-semana e o Hamilton seguiu as suas instruções, por isso talvez queira pilotar para ele. Vêem, vou de um extremo ao outro na minha cabeça”.

Wolff destaca também o mérito de Rosberg: “O Nico manteve a calma sob pressão, talvez também tivesse tentado uma ultrapassagem, um outro jogo”, refere.

A postura da Mercedes continua a ser não dar ordens de equipa “desde que possamos ganhar a corrida. E esta foi uma situação onde calculámos que teríamos perdido a corrida, porque o Lewis Hamilton estava a abrandar cada vez mais. Foi por isso que decidimos intervir, e ele decidiu ignorar. Temos que perceber se isto abre um precedente para o futuro”.

Os nossos artigos mais recentes