Partilhe

Yvan Muller esteve à conversa com o AutoRacing durante as 4 Horas do Estoril das European Le Mans Series (ELMS). O tetracampeão do Mundial de Carros de Turismo (WTCC) falou-nos sobre os motivos do fim da sua carreira no campeonato, o que está a considerar para o futuro e também para a sua equipa Yvan Muller Racing, e das expectativas para a sua última ronda no WTCC, no Bahrein.

AutoRacing (AR): Faltam algumas semanas para o fim da sua carreira no WTCC. O que está a sentir neste momento?
Yvan Muller (YM): Sinto-me bem, estou bem com a minha escolha. Não decidi isto porque o tinha que fazer, decidi porque quis. Portanto, é positivo para mim. Quando se tem que desistir por não ter opção pode ser frustrante, mas este não é o caso.

AR: Quais foram os seus motivos para deixar o WTCC?
YM: Estou na competição há bastante tempo. Tenho 47 anos e estou ao mais alto nível há 25 anos. Isso requer muita energia e eu tenho menos energia e quero fazer algo diferente. Tenho família, não vi a minha filha mais velha crescer, quero ver a mais nova crescer, e quero mais tempo para isso.

AR: É altura de descansar então…
YM: Altura de descansar mas não só. Tenho a minha própria equipa, sou mentor de alguns pilotos, vou continuar a fazê-lo, mas não como antes.

AR: A sua equipa Yvan Muller Racing está a competir nas ELMS. Estaria interessado em entrar no WTCC com a sua própria equipa?
YM: Não, não está nos planos. Neste momento estamos já envolvidos em três diferentes campeonatos, mas no próximo ano estaremos focados em LMP2 e talvez noutro programa, mas ainda não está decidido. Mas o WTCC não está nos planos. Já o Mundial de Resistência está muito longe, requer um passo que não estamos preparados para dar.

Yvan Muller em exclusivo: “Tenho duas propostas no ralicross”

AR: Como piloto, o Yvan Muller vai continuar a correr em “part-time”?
YM: Ainda não sei. Não há planos. Tenho algumas propostas, mas agora quero ter algum tempo para pensar. Tenho também algumas propostas para outras funções no automobilismo, não só como piloto, mas quero pensar algum tempo antes de decidir.

AR: Em que campeonatos tem propostas?
YM: Tenho propostas no ralicross – inclusive duas propostas no ralicross – tenho, claro, várias propostas no WTCC, mas de momento não é o que eu pretendo. Quero ter algum tempo de descanso.

AR: É também um momento de reflectir sobre o seu futuro?
YM: Penso no meu futuro há muito tempo, porque não podia tomar a decisão que tomei sem reflectir no meu futuro. Mas vamos ver, tenho algumas ideias, alguns objectivos, alguma motivação para correr, mas vamos ver.

AR: O regresso ao Dakar está nos planos?
YM: Não, fiz o Dakar duas vezes, sei o que é e de momento não planeio ir ao Dakar. Porque o Dakar é uma corrida apenas mas exige muito trabalho antes e depois, por isso neste momento não está nos planos.

AR: Antes de 2017 ainda teremos a última ronda do WTCC. Quais são as suas expectativas e objectivos?
YM: Espero terminar a época com um bom resultado. A Citroën conquistou os campeonatos de pilotos e de construtores, por isso todos os objectivos estão alcançados. Quero apenas divertir-me na minha última corrida no campeonato.

Os nossos artigos mais recentes